1×1 Atlético/PR

Se Renato começa com Adilson o Grêmio ganha o jogo.

Anúncios

Mais um bom meio tempo

O segundo tempo do Grêmio deixou a torcida confiante. Creio que na média dos 90 minutos o Tricolor fez uma boa apresentação. Porém, ainda temos que melhorar. Portaluppi deveria ter começado o jogo com Adilson, já que o time fica bem mais equilibrado com dois volantes, e improvisar o estreante Gilson de volante só foi perda de tempo. Mas o que mais me chamou a atenção foi a liberdade que o Atlético/PR deu para Souza e Douglas.

Aí vem o grande detalhe, apesar de todo o espaço, os armadores do Grêmio não conseguiram criar jogadas para abastecer o ataque, e a única alternativa que o Grêmio tinha era a jogada de pivô de Borges. Souza depois da lesão não foi mais o mesmo, e Douglas alterna bons e maus momentos dentro do jogo. Talvez eles joguem na mesma – e isso atrapalhe o desempenho de Souza. Fato é que o meio campo do Grêmio precisa ser mais criativo, ou viveremos de jogadas individuais para balançar a rede adversária.

***

Nítida a melhora de qualidade na lateral direita. Quando Gabriel adquirir ritmo de jogo será uma grande arma. Só falta acertar a esquerda agora. Vilson mais uma vez jogou bem e até gol fez. Aos poucos vai ganhando a torcida.

***

Torcida essa que promete comparecer em peso ao Monumental nesta quarta-feira (apesar deste horário cretino das 19h30min). A direção gremista até promoção está fazendo para que a torcida compareça. Esse é o momento em que o torcedor deve estar ao lado do time.

***

A vitória é obrigação. Se repetirmos a atuação do segundo tempo de ontem, os três pontos são garantidos. Contra o Santos fizemos um bom primeiro tempo. Contra o Atlético/PR foi o segundo. Resta agora fazer um bom jogo. A hora é essa.

*para canelada , tocoymevoy e arquibancadafc

Só meio tempo

Há tempos o Grêmio não fazia um primeiro tempo como o de ontem. O time teve aproximação do meio campo com o ataque, retenção de bola na frente e criou algumas chances de gol. Só faltou o mesmo de sempre: laterais. Se bem que quem cruzou a bola para Borges marcar foi Fábio Santos, mas em todo este tempo de Grêmio dá para contar quantas vezes isso aconteceu. Já Edílson, bom, nem tem o que falar.

Douglas e Souza faziam uma boa partida e o Grêmio dava uma boa reposta contra o forte time santista. Aí veio o segundo tempo e o bom futebol resolveu mudar de lado. O meio campo gremista não conseguia mais ter a posse de bola e muito menos marcar o Santos. Preparo físico? Pode ser. Mas claramente quem morreu em campo foi Douglas, o resto do time não apresentou nenhuma queda de preparo. Faltou foi futebol mesmo.

Com o Santos dono do jogo, foi só questão de tempo para que o time paulista chegasse a igualdade – já que Victor já tinha feito uns milagres – e virasse a partida. Fato que ocorreu somente nos descontos porque Victor, mais uma vez, defendeu um pênalti. O Grêmio não soube reagir. Faltou organização e qualidade para o Tricolor. A classificação na tabela atrapalha nesses momentos em que é preciso ter a cabeça no lugar para se conseguir os resultados.

***

Renato, em sua entrevista coletiva após a partida, disse que o Grêmio ainda comete erros infantis. Correto! Eu mesmo posso citar alguns. O que leva um jogador (leia-se Fábio Santos) a cometer uma falta num jogador que está de costas para o gol? Esse foi o primeiro pênalti que deu origem ao gol de empate santista.

Outra coisa que é nítida é o mau aproveitamento das bolas paradas. Todas as cobranças de falta e escanteios são cobradas na primeira trave. Será que ninguém tem a capacidade de cobrar com mais qualidade? Os caras vivem com a bola nos pés e não capazes de cruzar uma bola decentemente? São coisas como essas que fazem com que a torcida perca a paciência.

***

Nosso capitão deveria falar menos e jogar mais. Outro que deveria simplificar nessa hora é Jonas.

***

Vilson teve uma boa estreia. Simplificou e parece ser um zagueiro que não brinca em serviço. Gabriel vai ser titular assim que estiver em forma e creio que Renato deveria por Neuton ou Lúcio na esquerda já contra o Furacão.

***

O que seria do Grêmio sem Victor? Confesso que às vezes sinto pena dele. Um jogador com tamanha qualidade não merece ter o time que tem. Aliás, a torcida não merece o time que tem.

***

Este papo que o campeonato é longo não serve, vide 2004. O Grêmio tem que ir para cima do Atlético/PR e vencer! Caso contrário a situação vai ficar ainda mais dramática.

*para canelada , tocoymevoy e arquibancadafc

Falta o básico

O ponto forte do time do Grêmio na conquista do título gaúcho foi seu ataque. Tudo bem, há de se fazer a ressalva de que o nível técnico do Gauchão nem se compara com o do Brasileirão, e mesmo assim, um setor do time já preocupava os Tricolores: a zaga.

Com a saída de Réver e Rodrigo (que começou bem mais caiu muito de qualidade), o Tricolor conta com apenas um zagueiro de qualidade: Mário Fernandes. Ozéia não pode fardar, e Rafael Marques até quebra o galho. Sem Mário machucado – num erro inadmissível do departamento médico gremista que esperou a Copa do Mundo acabar para operar o guri – a zaga do Grêmio é muito fraca.

Para piorar, a dupla de volantes também não marca. E os laterais (?) da mesma forma. Aí não há Victor que aguente.

###

Outro problema nítido da equipe gremista é a saída de bola. Ela simplesmente não existe. Com a falta de qualidade da zaga, dos volantes e dos laterais, o Grêmio vive de ligação direta para o ataque. Além disso, os responsáveis pela armação da equipe, ao invés de se apresentarem e buscarem o jogo na intermediária de defesa, ficam parados esperando a bola chegar.  Ou seja, não se arma uma jogada, não se dá mais do que três passes em direção ao gol adversário. E quem sai mais prejudicado? O ataque.

Sem toque de bola, deslocamento, tabelas, não há jogo. É o básico. Um time que não sabe fazer isso tem sérios problemas. O Grêmio os têm.

*para canelada , tocoymevoy e arquibancadafc

Douglas, o caseiro

De atuação destacada na vitória contra o Goiás, o meia Douglas disse hoje em entrevista coletiva que não entende porque o seu comportamento fora das quatro linhas é ponderado pelos torcedores e imprensa. Nas palavras dele: “Não tem nada errado, não tenho problema com nada. Se eu tomar uma cerveja tomo em casa para não ter problema. O que se fala aí fora eu não ligo muito. Quando o resultado não vem muita gente fala coisa que não existe. Eu tenho minha consciência tranquila, não gosto muito de sair de casa não.”

Pouco me importa o que o jogador faz na sua folga e em horários em que não cumpre expediente no clube, o que realmente é relevante é sua atuação dentro de campo. Como bem disse Douglas, a má fase ajuda na criação de fatos, porém, dando a reposta dentro das quatro linhas, como ele fez no domingo, a torcida e imprensa logo deixam o camisa 10 Tricolor em paz. Porque bola o rapaz tem.

Gabriel

Há quem garanta que o Grêmio está prestes a contratar o lateral direito Gabriel. Dizem, inclusive, que um representante do clube está na Grécia negociando com o atleta. Se de fato ele vir, é uma baita reforço. Porque aguentar o Edílson está difícil.

*para tocoymevoy e arquibancadafc