Cadê o 5?

O Grêmio fez uma boa partida contra o líder Fluminense. E entendo a escalação de Souza no lugar de Ferdinando – Renato queria a vitória no Rio – porém, faltou um volante na frente da zaga. No primeiro gol, a falta de comunicação entre Vilson e Souza foi clara. Conca recebeu livre e, craque como é, não perdoou.

Já o gol que decretou a vitória do tricolor carioca veio numa entregada do zagueiro Vilson. Sim, ele é zagueiro. Não tem qualidade para ser o camisa 5 do Grêmio. Renato o coloca ali porque acredita que no plantel não há um volante com as características necessárias para ocupar a posição. Não tiro a razão dele. Mas creio que com Vilson e Ferdinando o Grêmio ficaria menos exposto no meio campo.

O Fluminense começou sufocando. Em seguida, quando o Grêmio começou a equilibrar o jogo, tomou o gol. Depois disso só deu o tricolor gaúcho na primeira etapa. Mas, faltou capricho na hora de finalizar.

No segundo tempo o Grêmio dominou. Mas, por que não chutaram a gol? Objetividade é bom de vez em quando. Era muito preciosismo. Evidente que o Fluminense estava bem fechado, mas coloca a bola na área, tenta o arremate de fora. Numa dessas a bola entra, poxa!

Aí veio a falha e Conca matou o jogo. Derrota que limita o Grêmio a disputa por uma vaga na Libertadores. Creio que é preciso mirar o G-3, pois acredito que um clube brasileiro conquistará a Sul-Americana.

***

Vilson, Souza, Lúcio e Douglas. Esse foi o meio campo gremista. Quem marca? Só Vilson. Como é zagueiro, peca um pouco no posicionamento na entrada da área. Souza e Lúcio só cercam, e Douglas…….

***

O pênalti em cima de Jonas foi claro. Tudo bem, a marcação da penalidade não garantia sua efetividade, porém, o jogo seria outro se o Grêmio chegasse ao empate.

***

Fala-se que Jonas e Renato devem ter prioridade na renovação de seus contratos pela nova direção. Antes dos dois, Gabriel deve ter uma atenção especial do presidente Odone. Além de estar jogando muito, o mercado de laterais direitos é escasso.

***

Mano convocou o Douglas do Corinthians ou do Grêmio?

*para canelada

Anúncios

0x2 Fluminense

Os dois gols do Flu se originaram numa faixa do campo onde a presença de um camisa 5 nato se faz necessária. Como não o temos…

É muito toquinho na frente. Não pode chutar a gol?

Por fim, o Grêmio nunca se deu bem com o Héber no apito.

 

Padilha acha o furo da bala

Tropa de Elite 2 vai no “x” da questão. Não gosto de dar detalhes sobre filmes que estão em cartaz, mas pelo trailer é possível ter uma ideia sobre o que é tratado na continuação das aventuras do capitação Nascimento, agora coronel.

O diretor José Padilha acertou em cheio – como fizera no primeiro filme. Tocou novamente num ponto delicado e fundamental para o entendimento de algumas coisas que acontecem no nosso país. Na obra inicial ele abordou a questão do usuário e a da corrupção, usando como cenário um quartel da polícia militar carioca. Agora, além do quartel, o cenário cresce e vai até o gabinete do governador. Passando por favelas, programas de TV, campanhas eleitorais, gabinetes de deputados, Padilha faz um retrato da sociedade contemporânea.

A mensagem inicial do filme diz que “apesar de algumas coincidências, essa obra é uma ficção”.

Será?

#ficaadica

 

Estamos chegando

Se alguém tinha alguma dúvida de que o Grêmio é postulante a, no mínimo, uma vaga para a Libertadores de 2011, o resultado de ontem pôs fim ao dilema. Jogando contra a ótima equipe do Cruzeiro, o Tricolor provou que está em grande fase. Se vencer o Gre-Nal no domingo, o Grêmio tem tudo para lutar pelo título da competição.

O Grêmio de Renato é intenso. Em nenhum momento do jogo o time se acomoda. Claro que jogando contra a bela equipe cruzeirense, o Tricolor passou por momentos difíceis, mas tudo dentro de uma normalidade. O Grêmio, seja dentro ou fora de casa, sai para o jogo. Alguém lembra de alguma partida em que Portaluppi armou uma retranca, por exemplo? Esse é o mérito do treinador gremista, a ambição. Se pegarmos os 90 minutos do jogo de ontem, o Tricolor demonstrou mais vontade de vencer. Num jogo parelho como foi, isso fez a diferença.

***

Paulão, Vilson, Viçosa, Gilson e Diego Clementino são nomes modestos. Porém, Renato está fazendo eles jogarem. Tudo porque ele deu padrão ao time do Grêmio. Mudam os jogadores, mas a disposição do time em campo continua a mesma. Além disso, Portaluppi passa muita confiança aos atletas – basta acompanhar as entrevistas dos jogadores gremistas.

***

Gilson entrou no lugar de Fábio Santos na segunda etapa. Sofreu o pênalti que deu a vitória ao Tricolor e formou boa dupla com Lúcio. A torcida não vê a hora de alguém tomar a posição de Fábio Santos. Torcida essa que deu show. Nenhuma novidade nisso, é claro. A tabelinha entre torcida e clube voltou com tudo.

***

Cuca reclama, e com razão, do gol anulado. As arbitragens do Brasileirão são ridículas. Nesse final de semana eles deram show. Foi erro em tudo quanto é jogo. E a CBF nem aí. Fato é que se num dia você foi prejudicado, logo em seguida será favorecido. É a roleta russa da incompetência.

*para canelada , tocoymevoy e arquibancadafc