A conquista nunca é igual

Engana-se o homem que pensa que mulher é tudo igual. Da mesma forma que as mulheres que pensam que somos iguais.

Algumas gostam de sushi e Djavan. Outras, preferem polenta (com queijo) e Jorge Ben. Não esqueça daquelas que curtem a batatinha frita (com queijo, sempre com bastante queijo) e Fundo de Quintal. O que serve para uma, não necessariamente servirá para as demais. Não se pode cair no erro da generalização.

Claro que tem coisas que são básicas. Mulheres adoram flores, por exemplo.

O que quero deixar claro aqui é que para se conquistar uma mulher, nunca se usa a mesma tática da conquista anterior. Mulheres valorizam coisas diferentes. Até porque gosto de mulher é muito variado.

Por isso que devemos ser criativos e captar o que de fato atrai a mulher desejada, para que aí sim seja dado o tiro certeiro.

 

*para boteco timblim

Uma já foi

O Tricolor venceu a primeira final. Restam mais duas. Vencer o Guarani é obrigação para que na última rodada, com o Olímpico lotado, o Grêmio conquiste o 4º lugar do Brasileiro.

Os quinze minutos iniciais foram de pressão. O Grêmio partiu com tudo para cima e logo fez 1 a 0. Porém, depois disso, alguns erros da arbitragem (como o pênalti em Fábio Santos, por exemplo) deixaram o time Tricolor nervoso. O Atlético-PR conseguiu uma escapada e o pênalti. 1 a 1 e o jogo ficou aberto.

Na segunda etapa o Grêmio voltou melhor, mas sem exercer uma pressão igual a do primeiro tempo. Mesmo assim era dono do jogo, mas o gol não saia. Até que Edilson cavou o pênalti que colocou o Tricolor novamente em vantagem. Dali em diante o Grêmio procurou não correr riscos. Jogando mais recuado, e deixando a iniciativa para o Furacão, o Tricolor esperava por um contra ataque bem feito para matar o jogo. Não deu outra. Em grande jogada de Douglas, Diego Clementino fez o 3 a 1 que colocou o Grêmio pela primeira vez no G-4 e pôs o Olímpico em festa.

***

A atuação de Douglas era esperada pelos tricolores. Depois do que fizera com a camisa da Seleção, Douglas era a grande incógnita da partida. Porém, assim que a bola começou a rolar, o camisa 10 mostrou que queria jogo. Douglas fez uma das melhores partidas com a camisa do Grêmio. Fez um gol, deu passe para outro e até carrinho deu. Depois da partida, uma pergunta era óbvia: por que ele não joga sempre assim?

***

Diego Clementino é o novo xodó da torcida tricolor. Mais um jogador desconhecido do grande público e trazido por Portaluppi que dá certo. Renato que na última sexta-feira renovou seu contrato. Não tinha como ser diferente.

***

6 pontos e o Grêmio pode voltar a disputar a Libertadores.

Vamos Tricolor!

 

*para canelada

Vencer, vencer e vencer

E o Grêmio depende só dele. Bela notícia após o frustrante empate na Vila. Poderia ser melhor, claro que sim. Mas com o apoio da torcida o Tricolor pode vencer suas duas partidas em casa (contra Atlético/PR e Botafogo) e derrotar o Guarani, em Campinas. Somando nove pontos, o Imortal alcança o 4º lugar e, quem sabe, fica com uma vaga para a Libertadores de 2011.

***

Depois de um início apático, o Grêmio ia saindo mais para o jogo quando Jonas foi expulso. Dali em diante a partida era outra. Uma derrota praticamente tiraria o Tricolor da disputa. Por isso que “comemoramos” o empate. O time do Santos, mesmo com desfalques e desinteressado, é uma bela equipe. Porém, tirando o pênalti, as melhores chances de gol foram do Grêmio. Se Jonas não é expulso, acredito que o Grêmio teria ganho a partida. Porém, o “se” não joga.

Não dá para entender a atitude de Jonas. Em um jogo decisivo ele não pode perder a cabeça daquele jeito. Além de prejudicar o time na partida, provavelmente ficará de fora do Brasileiro.

Outra coisa que é inadmissível foi o pênalti de Rafael Marques. Coloca a porcaria da bola para fora e nada daquilo teria acontecido. Paulão caiu no gosto da torcida exatamente porque não inventa.

***

Falar de Victor não tem mais graça. Já está na história do clube. Ele é um atleta que as direções terão de fazer de tudo para que ele jogue no Grêmio até o final de sua carreira. Até porque ele vale o investimento. É praticamente um milagre a cada jogo.

***

Douglas será julgado amanhã por uma entrada em Richarlyson, do São Paulo, no jogo do Olímpico. Vale lembrar que o árbitro nem falta marcou, ou seja, ele foi indiciado pela TV – e um bom tempo depois, diga-se de passagem. O STJD sempre dá um jeitinho de aparecer na reta final. Vamos ver no que vai dar.

***

Serão três finais até a conquista do 4º lugar. A primeira será no sábado, às 19h30min no Olímpico. Lugar de gremista é lá.

Vamos Tricolor!

 

*para canelada

O indescritível show de Macca

Ao todo foram quase 24 horas em função do show. 10 intermináveis horas na fila para comprar o ingresso, e quase 14 no dia do evento. Tudo para ver um Beatle.

Uma semana após o show, confesso que não consigo ainda definir o que de fato aconteceu na histórica noite do dia 7 de novembro. Só quem estava lá sabe o que o show de Paul McCartney representou.

A música tem um efeito sobrenatural nas pessoas. Os Beatles, e por consequência Paul, mudaram a história – e não só a da música. Ver uma verdadeira lenda tocando os maiores clássicos da história da música ali de pertinho teve um efeito inebriante sobre mim. O qual levarei por toda a vida.

Tudo passa pela Vila

O placar foi justo. O Tricolor fez um belo jogo contra o Ceará e mereceu golear. Porém, até fazer 1 a 0, as melhores chances de gol foram da equipe cearense. Por duas vezes Victor evitou a abertura do marcador. Depois de ficar a frente do placar e ampliar a vantagem para 2 a 0, a expulsão de Heleno fez com que uma reação do Ceará fosse impossível. Daí para frente o Grêmio tomou conta do jogo e venceu com autoridade.

Douglas foi o destaque. O camisa 10 fez um gol e deu passe para outros dois. Outro nome que caiu nas graças da torcida é o do zagueiro Paulão. Seu jeito “delicado” conquistou a torcida. Souza – se comparado a ele mesmo – realizou uma boa partida e quase fez um golaço – o travessão salvou o goleiro Michel Alves.

***

Com o dever de casa feito, o Tricolor vai à Vila Belmiro encarar o Peixe. Historicamente o Grêmio nunca se deu bem na Vila. Mas, a história não entra em campo, e se o Grêmio almeja estar na próxima Libertadores da América tem que ir para o jogo com a faca entre os dentes. Só uma vitória o mantém perto do G-3.

***

Como já escrevi antes, acredito que um clube brasileiro (possivelmente o Palmeiras) vencerá a Sul-Americana. Com isso, adeus G-4. Porém, vou ser otimista. Se a quarta vaga existir, o Tricolor tem tudo para ficar com ela. Afinal de contas, joga contra seus concorrentes diretos dentro do Olímpico. Tudo bem, isso não garante a vitória, mas com o Monumental lotado e o time em grande fase, não será nada fácil para o Atlético/PR e para o Botafogo segurarem o Imortal.

***

A novela para a renovação de contrato de Portaluppi continua. Segundo o futuro assessor de futebol do clube, Antônio Vicente Martins, as “arestas estão sendo aparadas”. Agora é esperar pelo próximo capítulo.

*para canelada