Sempre sobra para a Copa

Andando por aí, seja durante o dia para ir e voltar do trabalho, no boteco, em shows e até mesmo em casas noturnas, umas das frases que eu mais ando ouvindo é: “E ainda querem fazer Copa do Mundo.” O bordão virou desculpa para qualquer coisa.

O cara está na fila gigantesca do banco, e solta: “E ainda querem fazer Copa do Mundo.”

No ônibus lotado a velha senhora, irritada com a superlotação, também diz: “E ainda querem fazer Copa do Mundo.”

No bar, se a cerveja vem quente, a reclamação começa com: “E ainda querem fazer Copa do Mundo.”

Se o show daquele artista nacional atrasa: “E ainda querem fazer Copa do Mundo.”

Enfim, tudo que dá errado sobra para Copa.

Concordo que o país deveria arrumar algumas coisas antes de sediar a competição mais importante do planeta, mas nem por isso a Copa deve ser citada sempre que algo nos desagrada.

Tem gente que não pega ninguém na noite e só falta botar a culpa nela também…

Anúncios

O brinco

O pequeno objeto esférico foi a única testemunha. Devido as circunstâncias do fato, a pequena joia foi parar num canto qualquer do recinto. Fica a dúvida se ele viu toda a cena do solo ou se só chegou lá depois de alguns minutos, mas ele pode ver o que se passou nos breves 15 minutos que duas pessoas passaram em sua companhia.

Ainda na orelha Dela, o brinco pegou o rapaz de surpresa. O beijo inesperado ascendeu nele a vontade que guarda em seu peito de Tê-la em seus braços. Depois do susto inicial dele, ainda com o brinco assistindo aos beijos molhados de camarote, o recente casal pode por em prática tudo o que o momento pedia. Daí por diante o brinco foi levado pelo momento e só foi achado longo tempo depois.

Durante a queda, o objeto certamente viu nele uma expressão feliz, e Nela uma satisfação. Se era amor, paixão ou tesão ele não sabia, mas se o brinco pudesse falar, ele diria que viu duas pessoas em sintonia.

Do chão ele viu um casal falando o belo idioma dos beijos e carícias – que em determinados momentos eram de uma intensidade impressionante – deixando marcas pelo corpo, dos dois, é claro, e feliz. Muito feliz.

Diria também que foi esquecido pelo momento, afinal de contas Ela só sentiu falta da joia tempos depois, mas ele não tinha do que reclamar. Foi a única testemunha de uma cena que só ele e o casal poderão compartilhar no futuro.

Situações #4 – Ela ainda existe

Dia desses me perguntaram a quantas andava a paixão do Bartolomeu. Resolvi ligar para o rapaz.

– “Fala, Alemão!” diz ele de dentro do ônibus.

– “E aí, meu querido! Tudo tranqüilo por aí?”

– “Tudo. E por aí?”

– “Na boa, Bart. E as gurias?”

– “Que gurias, Alemão? É só uma, tu sabes.”

– “Ainda?”, interroguei com a certeza de que Bartolomeu ainda sofre por amor.

– “Ainda, Alemão. E digo mais, acabei de me encontrar com ela.”, me respondeu com uma voz sofrida.

– “Ah, é? E como foi? Tentou algo?”

– “Não. Nem tento mais, Alemão. Acho que já perdi esta guerra, porque batalhas já foram muitas. Mas confesso que agora, vindo para casa e pensando, acredito que deveria ter tentado. Mas talvez tenha sido melhor assim. Ah, sei lá! Esse lance de amor não correspondido é uma merda, né?!”

– “É.”, respondi em tom duvidoso.

– “Foda é que eu fico mal e tal. Não deveria ter a encontrado. Mas quando falo com ela e proponho essas coisas fico louco. A mesma coisa acontece quando estamos juntos. Ela simplesmente me tira do chão, Alemão!”, bravou do outro lado da linha.

– “Imagino”, com certa pena retruquei.

– “Já ti disse várias vezes. Ela é a mulher da minha vida! Não me imagino ao lado de outra, Alemão.”

– “Calma que um dia vai, Bart”, ponderei.

– “Ah, vai!”, confiante me respondeu.

– “Então tá, Bart. Ti cuida, meu querido.”

– “Tu também, Alemão. Abraço!”

– “Outro”, e desliguei.

Se alguém tinha alguma duvida que o coração de Bartolomeu ainda batia pela menina, está aí a reposta.

Guns em 2011? Não!

Como fã de Guns N’ Roses, achei deprimente a aparição da banda (?) no Rock in Rio.

Para começo de conversa, não tivemos show do Guns no festival, quem tocou foi Axl Rose e banda.

Axl, diga-se de passagem, não consegue fazer nem cover dele mesmo.

Digo isto porque quando comecei a me interessar por música o Guns estava no auge – começo da década de 90.

Era uma overdose. Era Guns na MTV, nas rádios, nas rodas de violão, etc.

E para quem viu ou quem vê aquele Guns do fim da década de 80 e começo da de 90, sabe que a banda era espetacular.

Claro que é um queixa saudosista minha, mas ver o Guns (?) de 2011 é muito triste.

Situações #3 – A morena angelical

Há tempos Bartolomeu desejava aquele corpo. A morena – que frequentava o mesmo ambiente que ele – não sabia sequer da existência dele. Mesmo assim os olhares carregados de desejo eram disparados em direção a menina com uma violência tal que se os olhares se encontrassem, Bartolomeu não saberia onde se esconder tamanha era sua tara pela moça.

Passado alguns anos, nosso personagem sequer trocou uma palavra com sua musa. Até que um dia, os dois acabaram trocando algumas palavras em uma mesa de bar, graças a uma amiga em comum.

No dia seguinte, Bartolomeu se surpreendeu com a solicitação de amizade que sua desejável morena lhe enviou em uma rede social qualquer. Depois disso, ele decidiu partir para o ataque. Descobriu o MSN da moça em seu perfil e foi para cima. Segundo ele, a morena é baixinha, possui um olhar provocador e um sorriso angelical. Passados os papos iniciais e clichês de qualquer conversa iniciada pela internet, Bartolomeu resolveu dizer para a moça que tinha um desejo antigo por ela.

Bom de papo, Bartolomeu enfim conseguiu fazer com que a morena lhe reservasse alguns minutos depois do expediente. Ainda incrédulo, ele saiu do seu serviço eu foi ao encontro da sua morena angelical – levou até um Jorge Ben de trilha. Passados alguns minutos, aquela tensão no ar se transformou em beijos demorados e cheios de carinhos. Bartolomeu sempre me repete – incontáveis vezes – que nunca beijara lábios tão delicados quanto o da moça em questão.

Passado o primeiro encontro, os dois ficaram mais duas vezes – isto porque a moça é casada. Fato é que Bartolomeu, por três vezes, teve seu desejo realizado por sua anjinha morena.