A raiva faz parte do futebol

Final de semana e, como de costume, fui jogar meu futebol. Estava irritado. A ressaca da noite anterior ainda estava forte e eu estava sem o mínimo tesão para jogar bola – fato raro, diga-se de passagem.

Resultado: joguei com raiva. Não que isso seja bom, mas às vezes um pouco desse sentimento faz a gente correr mais e até mesmo jogar mais do que se sabe. Joguei bem (ou mais do que jogo) até no gol, coisa que eu odeio fazer, não sei se foi a raiva ou o álcool que ainda corria em minhas veias, mas fato é que valeu ter ido, mesmo de má vontade, jogar a tal da pelada semanal.

Pegando de gancho o chocolate dado pelo espetacular Barcelona em cima do Santos, creio que faltou uma certa raiva ao time paulista. Talvez raiva não seja lá a palavra certa, na verdade faltou um pouco de humilde de saber que jogaria com o melhor time do planeta e a defesa seria a maior virtude para, num contrataque, vencer a partida, e também um pouco de pegada, para fazer tal marcação serrada em cima do time catalão.

Evidente que isso não garantiria a vitória do time santista, penso que o Barcelona ganharia de qualquer jeito, mas o fiasco certamente seria menor. A raiva faz parte do futebol – que como todos sabem é o esporte mais passional que existe. Essa coisa do politicamente correto, como fazer uma falta e logo em seguida ir pedir desculpas ao adversário, é um saco.

Não prego que o Santos tivesse dado um pau no Barcelona e partido para a ignorância, não é isso. Penso que em determinadas situações, ir à campo com um pouco de irritação é bom. Como por exemplo, provar para todo o mundo que o Barcelona não é imbatível.

Além do futebol, faltou raiva para o Santos.

Anúncios

A necessidade da mulher casada

*o casada faz referência a toda a mulher que está em um relacionamento sério

Mulher precisa de um agrado – seja ele um elogio ou a simples pergunta: como foi teu dia? – para se sentir bem.

Se ela está casada é porque viu no seu parceiro esta e outras qualidades. Rara é a mulher que casa com um cara que não presta atenção nela ou que não é capaz nem de saber como foi seu dia.

Ou seja, mulher precisa ser agradada diariamente, e burro é o homem que não o faz.

Até aqui tudo bem, creio que é até lógico o que escrevi acima, entretanto, a tal da necessidade que me refiro é a seguinte: o desejo de outros homens.

Claro que isso não se restringe às mulheres casadas, mas as comprometidas precisam disso para valorizarem o homem que está ao seu lado ou para ver que ele não a merece, em alguns casos.

Exemplifico: se a mulher casada começa a ouvir os tais elogios por parte de outros homens e os mesmos a tratarem bem, com atenção, carinho e é claro, interesse, e o atual parceiro dela estiver fazendo justamente o oposto dentro do relacionamento, provavelmente esta mulher vai meter um par de guampas no rapaz.

O motivo? Fácil.

Faltou dar atenção a menina, e se uma mulher carente geralmente apronta, imagina uma casada carente.

É da natureza feminina sentir-se bem quando seu ego é alçado. E o homem que faz isso diariamente, certamente está no caminho certo para se manter no relacionamento ou para arrumar algum.

Ou para ser o outro, vá saber!