O Grêmio precisa de nós

Como é de conhecimento de todos, estamos com o cofre raspado.

Não cabe debater aqui por culpa de quem, afinal de contas inúmeras gestões passaram pelo clube desde 1903 e apontar o dedo para esta ou aquela de nada adiantará. Buscando novas receitas e aproximar mais o torcedor do clube, o Grêmio está realizando três ações específicas.

Benefícios
Na primeira delas, o sócio que manteve em dia suas mensalidades durante todo o ano de 2014 tem benefício imperdível na GrêmioMania da Arena ou na Loja Virtual. Sua fidelidade dá desconto em dobro na aquisição de uma camisa oficial da Umbro.

São os tradicionais 10% para o associado e mais 10% de desconto pelo pagamento em dia do ano de 2014. Além disso o sócio recebe também um bônus de 10% sobre o seu total de pontos acumulados no Goleada Tricolor durante o ano de 2014.

Reativação de sócios
O clube também quer resgatar seu antigo associado que deixou de participar ativamente do Quadro Social. Para isso, ao reativar o seu plano atual ou escolher uma nova modalidade de associação, mantendo as novas mensalidades em dia por no mínimo 12 meses, o torcedor terá seu saldo devedor quitado ao final do período.

Além disso, após a reativação, terá também a data inicial da associação mantida junto ao Quadro Social. Não perca esta oportunidade. A reativação vai até 30 de abril de 2015.

Antecipação em qualquer mês
Por fim, o associado terá uma nova oportunidade para antecipar 12 meses das mensalidades. Em qualquer mês do ano, quem efetuar o pagamento antecipado terá direito ao benefício do desconto especial de 10% no pagamento à vista ou 5% de desconto no cartão de crédito em até 3x sem juros. Para obter o desconto o associado pode acessar o Portal do Associado ou entrar em contato com o Quadro Social.

Estas ações foram lançadas nesta terça-feira através do site oficial do Grêmio.

Se informe e divulgue. O Tricolor precisa de nós.

Originalmente publicado em gremiolibertador

Anúncios

Uma ajuda para o 10

Douglas teve uma atuação mediana na noite de ontem. Participou dos dois gols da equipe, proporcionou boas chances de finalização aos seus companheiros e até bola na trave meteu. Essa melhora do meia também se deve ao esquema adotado por Felipão e a toda movimentação do time.

Falando não só de Douglas, mas de um 10 com a sua característica, um meia desse calibre só terá sucesso se o time for compacto e de intensa movimentação. Ontem, com o meio campo em losango, Fellipe Bastos jogou próximo de Douglas, assim como Araújo em determinados momentos. Além disso, Pedro Rocha e Everaldo se movimentaram a todo instante e eram boas opções de passe a frente do camisa 10.

Voltando um pouco no tempo, no Grêmio de Renato Portaluppi, Douglas teve seu melhor momento jogando num esquema como o de ontem, que primava pela troca de posições e movimentação de todos os setores da equipe. Auxiliado pelos volantes, homens de frente e laterais, ele pode dar uma boa e constante resposta com a camisa tricolor, pois qualidade ele tem.

Não sabemos ainda se Felipão continuará no 4-4-2 ou voltará ao 4-2-3-1. Independente do esquema, o time precisa ter uma movimentação constante para que qualquer camisa 10 possa render o esperado. Sem ela, qualquer um sucumbirá.

Originalmente publicado em gremiolibertador

Um pouco de tranquilidade

A vitória na noite desta quarta-feira vale muito mais para trazer um pouco de calma ao ambiente gremista do que qualquer coisa. Tivemos uma atuação boa, principalmente na segunda etapa, e Felipão parece ter achado o melhor esquema para o time.

Jogamos no 4-4-2 com o meio-campo em losango, um jogador de velocidade na frente e um mais de referência. A escolha de Felipão deu certo e o time jogou mais compacto e com uma boa movimentação. Se no primeiro tempo não criamos tantas chances de gol, na segunda etapa a equipe teve maior domínio sobre as ações e poderia ter balançado a rede adversária mais vezes. Júnior, Douglas e Pedro Rocha foram nossos destaques.

O camisa 10 participou dos dois gols e criou outras chances para os homens de frente. Júnior é uma afirmação e me parece ser o dono da lateral esquerda. Pedro Rocha, que fez seu primeiro gol entre os profissionais, é ousado e tem bom drible. Precisa de continuidade.

Defensivamente ainda estamos com alguns problemas, principalmente na direita. Galhardo apresenta alguns defeitos de marcação e sofremos muito quando o ataque adversário investe por ali. Outras falhas pontuais de marcação e de movimentação também devem ser corrigidas visando um sistema defensivo mais sólido.

A partida de hoje poderia ter sido trágica caso o triunfo não ocorresse. Ele veio e com uma boa atuação, não a ideal, mas que traz alívio à torcida. Já para o time, um pouco de moral e mais confiança para os próximos jogos: contra o Juventude em casa e o clássico fora.

Ufa!

Originalmente publicado em gremiolibertador

Deixem o Luan jogar

Dia 27 de março Luan completa 22 anos. Qualquer pessoa nessa época da vida está em formação profissional, esquecerei neste texto a questão pessoal do jogador. Alçado a equipe principal em 2014 depois de um bom Gauchão, o jogador ainda é tema de intenso debate entre os gremistas.

Num esporte tão passional quanto o futebol, o torcedor quer tudo para ontem. Os longos anos sem títulos nos deixaram ainda mais impacientes, e quando o assunto é categoria de base, parece que a palavra paciência não existe.

Inúmeros atletas vindos de fora passaram aqui e mesmo ser ter qualidade alguma tiveram tempo e até calma por parte da torcida para mostrar seu pouco futebol. Outros que foram forjados pelo clube tiveram que sair porque além da forte cobrança que a seca de títulos traz, o torcedor não teve a calma que precisa no momento em que um jovem chega ao elenco profissional. E nem mesmo os dirigentes souberam administrar isso e acreditar nestes jogadores. Como resultado, fomos ao mercado contratar jogadores medianos a um alto custo, o que ajudou a minar as finanças da instituição.

Ano passado Luan provou que tem qualidade. Evidente que ainda tem muito a evoluir e precisa corrigir alguns problemas que apresenta durante os 90 minutos. Mas pergunto: qual jogador é afirmação com essa idade, tirando exceções como Neymar, Messi, Cristiano Ronaldo? Só um extraclasse é unanimidade tão jovem, e todos sabemos que Luan não é craque. Tem sim potencial para ser um ótimo jogador se corrigir alguns defeitos que possui.

Luan tem apenas um ano como profissional e jogou, em 2014, 50 partidas pelo Grêmio. Virou titular e teve a responsabilidade – e foi muito bem – de disputar uma Libertadores com o peso da cobrança da imprensa e do torcedor. Tem muito a evoluir e seguirá oscilando durante as partidas, mas não podemos ser tão críticos com quem tem talento.

Se 2015 será marcado pela base sendo protagonista, achar que Luan é o ‘novo Bruno’ é olhar o copo meio vazio. Está na hora de olharmos mais as qualidades que os defeitos de nossos jovens atletas, ou num futuro próximo vamos aplaudir pernas de pau contratados a peso de ouro.

Originalmente publicado em gremiolibertador

O novo trio

A derrota e a péssima partida contra o Aimoré, no meio de semana, fizeram com que Felipão modificasse o Grêmio. O técnico abandonou o esquema com dois centroavantes e colocou Lincoln como um dos três meias no esquema utilizado em 2014: o 4-2-3-1.

A vitória veio através de uma atuação mediana, prejudicada com a expulsão de Luan antes do primeiro minuto do segundo tempo (cartão vermelho injusto, diga-se de passagem) que igualou a contagem em 10, já que Altair, do Avenida, fora expulso aos 45 do primeiro tempo.

Enquanto estivemos com 11, a movimentação de Luan e Lincoln fez com que o Grêmio chegasse bem ao campo de ataque através de boa participação de Douglas, mas a finalização não ocorria. Everaldo foi muito discreto e saia muito da área. A entrada de Moreno – que pode estar de saída – deixa claro que precisamos de alguém mais cacifado e de qualidade para vestir a 9 caso o jogador seja de fato vendido.

Por outro lado, com a consolidação do 4-2-3-1, Luan, Lincoln e Douglas parecem ser os jogadores certos para este esquema, tendo como objetivo chegar ao ataque, marcar gols e municiar o centroavante. Temos o Éverton, que entrou muito bem e tem velocidade. No futuro teremos Giuliano, ou seja, boas opções para montar o quarteto final.

A defesa ainda precisa de alguns ajustes, já que só Rhodolfo fardou em 2014. Sendo assim, falhas pontuais são normais, como a do gol que tomamos, que teve origem num posicionamento errado da dupla de volantes, que também precisa de melhor entrosamento.

Aos poucos vamos vendo que cara este time de 2015 terá. Por hora, a boa notícia desta tarde foi a boa atuação de Lincoln, que a cada partida vai mostrando do que é capaz e mesmo jovem já deixa ótima impressão.

Originalmente publicado em gremiolibertador

Alerta inicial

É apenas o segundo jogo e qualquer análise mais profunda seria uma leviandade, mas algumas coisas começam a ficar claras. A principal delas é que o esquema com dois centroavantes não funcionou.

Com dois homens lentos na frente, o time ficou estagnado, sem aproximação e nada criou durante os 90 minutos. Só assustamos através de bola parada e o gol de desconto foi ocasional.

Na segunda etapa, com Moreno de referência e uma linha de três rápida com Luan, Lincoln e Everton, o time se movimentou mais e ficou mais próximo, entretanto, não conseguiu ser criativo contra uma marcação eficiente do Aimoré.

Arthur e Júnior, que iniciaram a partida, deram boa resposta. Mesmo atuando só o primeiro tempo, Arthur mostrou segurança e um bom passe. Júnior foi o grande destaque do time, apoiou bastante e a todo momento se apresentava para o jogo.

A derrota e principalmente a má atuação, colocam mais um ponto de interrogação na cabeça da torcida. Ao mesmo tempo que precisamos ter calma neste início de trabalho e com os jovens jogadores que entram no time, as vitórias são necessárias para pavimentar um caminho tranquilo para Felipão.

Que a noite de hoje já sirva para algumas correções pontuais neste início de Gauchão. Domingo o time precisa mostrar um melhor futebol, caso contrário a desconfiança ganhará força.

Originalmente publicado em gremiolibertador

E Barcos partiu

Barcos já não é mais jogador do Grêmio. O anúncio foi feito em coletiva realizada no início da tarde desta terça-feira. Em sua passagem pelo Tricolor, o Pirata marcou 45 gols em 113 partidas.

Desde seu anúncio, Barcos carregou o peso de ser o 9 que há tempos não tínhamos. Talvez por isso, tenha atraído tanto a atenção da torcida, que sempre foi muito crítica em relação ao jogador – em alguns casos até em demasia.

O Pirata nunca foi um craque, e o torcedor sabe disso. Como a equipe num todo, alternou bons e maus momentos, mas como tinha a tarefa de ser o homem gol e falhou em algumas oportunidades, foi rotulado como o grande vilão pelos insucessos gremistas. Apanhou quieto e nunca revidou com palavras as vaias que sofria, assim como as críticas que recebera da imprensa, provando ter um caráter e um profissionalismo acima da média. Sempre falou em trabalho e aos poucos foi melhorando suas atuações e voltando a marcar gols.

Quem me acompanha por aqui sabe que sempre defendi Barcos. Acredito que ele é um atleta que no cenário nacional só não seria titular em Fluminense, São Paulo e Corinthians, times que possuem bons centroavantes. Além disso, o Pirata é um jogador inteligente e faz o time todo jogar. Faz bem o pivô, sai da área abrindo espaço para outros jogadores, possui um bom passe e tem uma visão de jogo excelente.

Barcos nunca foi o grande problema do Grêmio, rótulo este que já queimou inúmeros atletas que saíram daqui e foram ser campeões em outros clubes. Foi duramente criticado por não fazer gols em jogos importantes, mas pergunto: era só dele tal obrigação? Não foi só ele que não marcou em decisões, foi o Grêmio. O todo.

Além de um bom 9, Pirata sempre foi bom de grupo, o que é fundamental para um capitão. Suas atitudes respeitosas fora de campo e com grande engajamento – o caso da Piratinha que comoveu a todos – o fizeram ter um bom vínculo com a torcida.

Lamento profundamente a saída de Barcos, primeiramente pela perda técnica, e num segundo momento pela liderança junto ao time e pela identificação criada com a torcida. O Pirata deixa o Grêmio num momento em que sua presença seria fundamental para o trabalho que será realizado junto aos jovens.

Resta o reconhecimento por todo o tempo em que Barcos honrou a camisa tricolor dentro e fora das quatro linhas. Obrigado, Pirata!

Originalmente publicado em gremiolibertador.com