Os ‘nunca tá bom’

Ah, a internet. Adoro esse negócio de todo mundo ter voz e poder ser seu próprio veículo, embora na maioria das vezes publicando inverdades. Fato é que a democracia proporcionada por ela é motivo para comemoração. Todos opinam sobre tudo e principalmente sobre o esporte bretão.

O que me chama a atenção acompanhando as redes sociais oficiais do Grêmio e a repercussão com ações promovidas pelo clube, é aquela galera que nunca está satisfeita. Antes de qualquer comentário positivo sobre a postagem, já saem ferozmente botando algum defeito ou criticando a ação realizada. É aquela coisa do copo sempre meio vazio.

E na maioria dos casos a má vontade não vem junto com uma sugestão, por exemplo. É a crítica pura, como se tivessem prazer em fazê-la. O leque sobre as queixas é variado e quem tem por hábito passar um tempo nas redes sociais já identificou parte dessa galera que é eternamente insatisfeita e com uma má vontade ímpar sobre qualquer ato feito pela instituição.

Penso que todos têm liberdade para opinar, mas ao mesmo tempo acredito que é improdutivo apontar defeitos sem ao menos ter uma sugestão para a melhoria. ‘Ah, mas eu não conheço ninguém no Grêmio’. Isso não é desculpa. Pelas próprias redes sociais você pode dar sugestões, até porque o clube leve em consideração a opinião da torcida em todos os materiais que produz.

Reitero que todos podem se manifestar, mas não tenho mais paciência para essa turma que só sabe reclamar. Se não querem ajudar, ao menos não atrapalhem.

Originalmente publicado em gremiolibertador.com

Anúncios

Carta ao Romildo

Senhor Presidente,

Verba volant, scripta manent” (As palavras voam, os escritos permanecem)

Por isso te escrevo. Muito a propósito do intenso noticiário destes últimos dias que dizem respeito a futuras contratações a ser realizadas pelo Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense assim como a permanência de atletas que compõem o atual grupo.

Esta é uma carta pessoal, não é um desabafo que já deveria ter feito há muito tempo. Desde logo lhe digo que não é preciso alardear publicamente a necessidade de meu gremismo. Tenho-o revelado ao longo de trinta e um anos.

Lealdade institucional pautada pelo amor incondicional que ainda no berço foi despertado. Sei quais são as funções do torcedor.

Entretanto, sempre tive ciência da absoluta desconfiança que nossa torcida tinha neste time de 2015. Desconfiança incompatível com o que fizemos para manter o apoio incondicional ao nosso clube.

Tenho mantido meu gremismo e apoiado seu governo. Isso tudo não gerou desconfiança em mim. Mas chegou o momento de eu alertá-lo sobre o que precisamos para 2016.

Vamos aos meus pedidos. Exemplifico alguns deles.

1. Permanência de Maicon e Geromel.

2. Contratação de um homem gol.

3. Contratação de um camisa 10.

4. Jogar o Gauchão com jogadores da categoria de base.

5. Não permitir que empresários usem o Grêmio como barriga de aluguel e/ou balcão de negócios.

6. Só vender o Luan pelo valor de sua multa rescisória.

7. Respaldo incondicional ao trabalho de Roger.

8. Trabalho de bastidor para que decisões da Conmebol e CBF não nos prejudiquem.

9. Trabalho para a união dos movimentos políticos em prol do clube.

10. Compra da gestão da Arena.

11. Títulos.

Respeitosamente,
\ Alemão Pizoni

Ao Excelentíssimo
Senhor Romildo Bolzan Jr.
Presidente do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense

Originalmente publicado em gremiolibertador.com

Bebe, Douglas!

Não há praga maior nas redes sociais do que a pregação pelo politicamente correto. O policiamento referente ao comportamento alheio é ostensivo e quando o alvo é um jogador de futebol parece que voltamos aos anos de repressão.

No nosso caso mais específico, a grande vítima destes pregadores do correto é o nosso camisa 10. Por deixar bem claro através de suas redes sociais que curte uma ceva, Douglas acaba gerando a ira de alguns que repudiam a sua postura.

Comportamento este que pode ser até nefasto para um jogador de futebol, mas completamente normal para qualquer pessoa. Quantas cevas ele bebe na folga pouco me importa, eu passaria a me preocupar se sua má condição física refletisse dentro de campo, e cá entre nós, Douglas é um dos destaques da temporada.

Além disso, tempos a hipocrisia. A galera malha o Douglas mas faz pior quando usufrui um dia sem trabalho. O fato de ele jogar no teu time não te dá o direito de julgá-lo por ele simplesmente fazer o que tu faz quando também está de folga. A cegueira da paixão clubística faz com que alguns coloquem a culpa em um determinado atleta como se a ceva que ele tomou na folga fosse a culpada pela nossa falta de títulos. Fora o fato de se preocupar com a vida alheia.

Douglas é um excelente profissional. Quantas notícias temos de ele chegando bêbado ao treino, ou qualquer ato de indisciplina enquanto jogador do Grêmio? Douglas deveria ter liberdade para fazer o que bem entender em suas folgas e fora do horário de trabalho. Claro que sua profissão faz com que todos seus passos sejam seguidos e seu comportamento julgado, mas isso não nos dá o direito de incriminá-lo.

Enquanto tal comportamento não o atrapalhar dentro de campo, que Douglas siga bebendo. E ah, se precisar de um parceiro para uma gelada pode me chamar, Doga!

Originalmente publicado em gremiolibertador.com