Arbitragens fracas estimulam Neymar a simular faltas

O vídeo publicado no YouTube no último dia 13 – o qual reproduzo abaixo – faz uma comparação que muita gente faz e já fez sobre o comportamento de Messi e Neymar referente aos seus marcadores.

Enquanto o argentino tenta a todo custo se manter de pé e finalizar a jogada sofrendo inúmeras faltas no mesmo lance, o brasileiro simula choques, entradas e desiste de jogadas em prol de tentar cavar uma falta.

Evidente que existe uma grande diferença de postura e de enfrentamento, mas também um fator a ser relevado é a arbitragem europeia e a brasileira.

A cultura europeia, tanto de arbitragem quanto dos jogadores, abomina quem tenta ludibriar o juiz. Na Inglaterra, o clima é hostil contra os farsantes. Já no Brasil, as fracas arbitragens marcam faltas que na Europa não passam de meros contatos.

No vídeo Neymar simula faltas. Vários juízes marcaram a infração por parte dos adversários do jovem santista. A farsa deu certo. Talvez este seja um dos fatores que faz com que Neymar simule tanto: a conivência da arbitragem.

Será que quando ele for para a Europa vai se atirar tanto?

 

 

 

Anúncios

Pelé tem medo de Messi?

O Pelé ou o Edson Arantes do Nascimento, como queiram, parece não ter a mesma habilidade que demonstrou com a bola nos pés quando resolve dar uma opinião sobre o futebol atual.

A última do Rei foi essa. (Pelé provoca Messi: ‘Primeiro ele tem que ser melhor que o Neymar’)

O debate na Europa já existe. Messi – para alguns – já é o maior jogador de futebol da história.

Quem não viu Pelé jogar e não sabe tanto quanto os brasileiros de suas façanhas por aqui, tem todo o direito de pensar assim. Afinal de contas, o argentino é gênio. Um jovem gênio.

Foto: Agência Estado

Se Messi manter o nível de atuações nos próximos anos será de fato o melhor jogador da história para várias pessoas. E é aí que Pelé parece temer Messi.

Para alguns, parece ser crime achar Messi melhor que Pelé. Porém, daqui alguns anos esse debate poderá vir à tona devido a tudo que o argentino fará em sua carreira.

Será que até lá Messi será melhor que Neymar?

Com a palavra o Pelé. Ou o Edson.

Quem pisa em Madrid é o Barça

Pepe, meio campo do Real Madrid e da Seleção Portuguesa, é sempre lembrado quando o assunto é volante que distribui porrada.

Mais uma vez o rapaz aprontou das suas.

Durante o jogo de ida das quartas de final da Copa do Rei, vencido pelo Barcelona por 2 a 1 (de virada), Pepe – ainda quando o jogo estava 1 a 1 – pisou na mão de Messi.

foto: elpais.com

O ato, além de desleal e covarde, reflete o desespero que o time de Mourinho demonstra quando se vê em uma iminente derrota para seu arquirrival.

Como ”vingança’, Messi deu uma passe espetacular para Abidal virar o jogo.

Enquanto um bate, outro é gênio.

Pepe, Mourinho, Cristiano Ronaldo e cia não sabem mais o que fazer.

Nem a violência para o Barça.

O desafio de Maradona

Messi atravessa o melhor momento de sua carreira. Faltando pouco tempo para a Copa do Mundo, o argentino desponta, ao lado de Drogba e Rooney, como um dos destaques da competição.

Em 2006, Ronaldinho Gaúcho também estava no auge. Chegou à Copa como o grande jogador da Europa e tinha acabado de ser campeão do continente pelo Barcelona. Como todos sabem, em 2006 a farra e o pouco profissionalismo dos jogadores brasileiros, aliados à falta de seriedade da CBF, contribuiu para o fiasco da seleção de Parreira. Porém, o treinador não soube tirar o máximo do grupo, e muito menos de Ronaldinho. Agora, Maradona vive uma situação parecida.

Como fazer com que Messi repita na seleção as boas atuações que realiza no Barcelona? Esse é o grande desafio para Dieguito. Se ele conseguir isso, a Argentina será uma das favortias ao título. Caso contrário, acaba sendo só mais uma equipe na disputa. Forte como sempre, mas sem um poder de decisão.

* para tocoymevoy